Vaiêshev

Quando vivemos nossas vidas, existem coisas que fazemos que prosperam e outras nem tanto. Muitas vezes nos perguntamos por que algo que foi tão bem planejado não deu certo quando outras que talvez foram ao acaso tiveram tanto sucesso. Tudo o que fazemos depende de muito mais do que somente nossa vontade ou seguir passos corretos de um plano elaborado. Nossas atitudes entram o tempo todo em contato com ações dos outros e impactam diretamente o mundo e as pessoas ao nosso redor.
 
Seria muito fácil saber o segredo para que tudo desse certo. No entanto, se tudo acontecesse sempre como nós quiséssemos, talvez a vida teria menos relevância. O mistério do mundo é o que nos permite continuar interessados pela vida.
 
Essa semana na Torá lemos como Iossef é levado à força para o Egito e vendido como escravo. Tudo o que sabemos de sua vida até agora é que ele era o preferido de seu pai e odiado por seus irmãos. Havia contado abertamente seus sonhos em que sua família se inclinava perante ele e vigiara seus irmãos enquanto pastoreavam.
 
Sabemos pouco de quem ele realmente era. Sabemos que o que aconteceu com ele seguramente não estava em seus planos nem nos de seu querido pai Iaacov.
 
Começamos realmente a conhecer Iossef quando ele chega ao Egito. Como escravo na casa de Potifar, tudo o que era colocado aos seus cuidados prosperava. Pela primeira vez vemos que Deus o acompanha apesar de o próprio Iossef continuar sem saber disso. Quem percebe que ele manifesta o divino é seu “dono” Potifar. O seu sucesso constante só poderia ser algo de alguém protegido por Deus.
 
Apesar desse acompanhamento divino, a vida de Iossef continua conturbada. Ele é colocado na prisão e novamente Deus o acompanha quando o chefe da prisão colocou-o numa posição de liderança e, mais uma vez, tudo o que fazia prosperava.
 
Finalmente Iossef percebe que pode ser um canal divino. Quando Iossef tem a oportunidade de interpretar o sonho de dois prisioneiros entende que, na verdade, quem irá interpretar é Deus. A partir desse momento, Iossef já não pode mais negar Sua presença em sua vida e reconhecerá Sua influência em todos os passos de sua vida.
 
Iossef percebe que Deus o acompanhou mesmo nos seus momentos mais sombrios e difíceis, e que apesar de poder prosperar, também teve outras quedas. Nem a companhia presente de Deus manteve Iossef numa vida somente de ascensão.
 
É difícil reconhecer que Deus nos acompanha quando nossos planos não se concretizam, quando tudo parece dar errado. Talvez o principal desafio de nossa vida seja partilhar com o divino todos os aspectos de nossa vida, o ruim e o bom. Desde a criação do ser humano dotado de livre arbítrio, Deus não pode agir por nós, nós somos responsáveis por nossas próprias ações. Mas se reconhecermos que somos manifestações do divino neste mundo, teremos mais paz de espírito quando errarmos e também mais humildade quando acertarmos.
 
Shabat Shalom.
Rabina Fernanda Tomchinsky-Galanternik.