Nôach

O ser humano pode concorrer com Deus?  Deus teria problemas com concorrência humana ao ponto de querer destruí-la? Destruir a humanidade?
 
A Torá começa o Gênesis de um modo que poderia dar a entender isso. Ao comer do fruto do conhecimento, o ser humano foi castigado; ao se comunicar para construir uma torre foi impedido e diversificado em culturas e línguas…
 
Quem acreditaria numa divindade tão medíocre que pretenderia acabar com um humano que soubesse e se comunicasse bem demais?
 
Eu confesso que não. Minha divindade não poderia ter essa mesquinhez. Pelo contrário, deveria ser generosa especialmente com o saber e com a comunicação.
 
Aparentemente assim pensaram também muitos comentaristas do passado.
 
O problema do conhecimento e da comunicação estaria na sua interpretação e aplicação. Na sua motivação e no seu impacto.
 
O que queria fazer o ser humano com essas capacidades, para que e como ficava a imagem que teria de si próprio, da vida e do outro a partir dessas novas forças?
 
Segundo a narrativa bíblica, os construtores da torre de Babel apenas queriam fama. Sem conteúdo, sem propósito, sem ideais. Só serem conhecidos, chamar atenção sem razão nem objetivo.
 
Segundo o midrash, essa atitude os levou a desprezar o valor do humano vendo no próximo apenas uma ferramenta igual a um tijolo em prol da promoção de sua fama.
 
Que possamos aproveitar nossas habilidades criativas, produtivas, intelectuais e sociais para ampliar e aprofundar nossa humanidade e nossa divindade.
 
Shabat Shalom.
Rabino Dr. Ruben Sternschein