Mais de 1000 pessoas participaram de ato em Memória das Vítimas do Holocausto

Realizado pela Congregação Israelita Paulista (CIP), Confederação Israelita do Brasil (Conib), Federação Israelita do Estado de São Paulo (Fisesp), na Sinagoga da CIP. O Ato homenageou os seis milhões de judeus assassinados durante este trágico episódio da história, com o acendimento de seis velas por sobreviventes do Holocausto, representantes de outras comunidades, vítimas do nazismo e de perseguições religiosas, jovens e autoridades políticas como o prefeito João Doria, o Senador José Serra, participaram dessa cerimônia.  Fernando Lottenberg, Presidente da confederação Israelita do Brasil ressalta que “com uma frequência espantosa continuamos a ver em vários lugares do mundo a ocorrência de perseguições com base na origem, na crença ou no mero pertencimento a um grupo. É por isso que estamos aqui, para lembrarmos juntos o Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto. Não estamos simplesmente olhando para trás, mas atentos ao que acontece no presente”.

 

Joshua Strul um dos sobreviventes presentes no evento contou como aos oito anos de idade, junto de sua família, escapou de um destino trágico. Nascido em 1933, em Moldova, na Romênia, Strul foi confinado por dois anos em um Gueto, com seus pais e seis irmãos, enquanto aguardavam a deportação para o Campo de Concentração de Auschwitz. “Por uma providência divina, não chegamos a ser deportados para o Campo de Concentração. Toda nossa família sobreviveu e então construí minha família aqui no Brasil, um país maravilhoso que nos acolheu” conta Joshua.

O Ato foi conduzido pelos rabinos Michel Schlesinger, Ruben Sternschein e Fernanda Tomchinski. Teve a participação dos chazanim Avi Burstein e Gerson Herszkowicz, do Coral da Hebraica, sob regência do Maestro Leon Alegua, além dos jovens do projeto “Remember Us” da CIP, que encantaram a todos, cantando em ídiche.

Segundo Marcos Lederman, presidente da Congregação Israelita Paulista “a incapacidade de uma sociedade respeitar a alteridade do próximo leva a perdas irreparáveis. No dia de hoje, reiteramos nosso absoluto compromisso com o enfrentamento desta questão, participando, ativamente, para o fortalecimento de uma sociedade mais igualitária, justa e que respeite e valorize, acima de tudo, a diversidade.”

 

Desde 2005 a Assembleia Geral das Nações Unidas instituiu o dia 27 de janeiro como o Dia Internacional em Memória das  Vítimas do Holocausto. A data é uma homenagem aos seis milhões de judeus e às outras vítimas do extermínio nazista. A resolução rejeita qualquer negação do Holocausto e enfatiza o dever dos Estados-membros de educar as futuras gerações sobre os horrores do genocídio. Este marco condena todas as manifestações de intolerância ou violência baseadas em origem étnica ou crença.