Chazit Hanoar

O Movimento Juvenil Chazit Hanoar Hadrom Americait (Frente Juvenil da América do Sul) começou a ser formado no ano de 1959 com a criação de um grêmio de atividades gerais.

Após várias alterações, acabou surgindo o Lehavá, que era um movimento juvenil educativo judaico, em 1960. Nesta época, em toda a Diáspora, surgiram movimentos juvenis, a maioria filiados a diferentes partidos políticos de Israel, mas sempre tendo o sionismo como principal bandeira.

Durante um seminário realizado em Campos do Jordão, jovens da Congregação Israelita Paulista, da Associação Religiosa Israelita (ARI – RJ) e da Sociedade Israelita Brasileira (Sibra – RS) decidiram criar um movimento juvenil sionista apartidário. O modelo adotado foi o da Jazit haNoar, já existente na Argentina, Uruguai e Chile. Surgia, enfim, a Chazit Hanoar.
Já em 1962, a tnuá (movimento juvenil) enviou o seu primeiro representante para o Machon Le Madrichim (curso para monitores),
em Israel. Até os dias atuais, centenas de jovens já viajaram a Israel em programas oficiais e muitos fizeram aliá (imigração para Israel). Atualmente, as kvutzot são divididas por faixa etária, a partir dos 7 anos.

Os chaverim (ao pé da letra, amigos; integrantes do movimento) mais velhos participam de encontros periódicos com representantes das sedes que ainda estão ativas: Rio de Janeiro, Porto Alegre e Montevidéu. A Chazit Hanoar realiza atividades na Casa da Juventude da CIP com cerca de 180 jovens todos os sábados, às 14h, e machanot (acampamentos) nas férias.